Ministro Joaquim Barbosa classifica como gritante as diferenças existentes entre o 1º e o 2º grau de jurisdição

O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, demonstrou, na segunda-feira passada (18/11),  durante o VII Encontro Nacional do Judiciário em Belém/PA, preocupação com o mau funcionamento da primeira instância dos tribunais e com a má distribuição de recursos humanos e materiais entre a Justiça de primeira e segunda instância. “É gritante – e não há outro adjetivo para definir – a diferença existente entre as realidades do primeiro e do segundo grau de jurisdição, aparentemente, a separar magistrados das duas instâncias, como se se tratasse de categorias profissionais diferentes”, afirmou. “A causa óbvia está na desproporção entre a demanda processual e os recursos organizacionais disponíveis”, complementou.
Segundo ele, os problemas enfrentados pela Justiça de primeira instância devem ser um dos principais focos de atenção dos participantes do encontro deste ano.
fonte: Agência CNJ de Notícias

Compartilhar:

20 − sete =