Xisto assume o TJPR com o principal desafio de priorizar o primeiro grau

Na tarde do dia 1º de fevereiro, a nova Cúpula Diretiva tomou posse no Tribunal de Justiça do Paraná, em concorrida cerimônia que aconteceu no Tribunal Pleno, para o biênio 2019-2020. Durante a solenidade, além de o Desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira ter sido empossado no cargo de Presidente, também tomaram posse o Desembargador  Wellington Emanuel Coimbra de Moura, na 1ª Vice-Presidência, o Desembargador José Laurindo de Souza Netto, na 2ª Vice-Presidência, o Desembargador José Augusto Gomes Aniceto, na Corregedoria-Geral da Justiça, o Desembargador Luiz Cezar Nicolau, na Corregedoria da Justiça, a Desembargadora  Ana Lúcia Lourenço na Ouvidoria-Geral, e como Ouvidora Substituta, a Desembargadora Maria Aparecida Blanco de Lima.
Em seu discurso de posse, o Presidente eleito cumprimentou os presentes, relembrou sua árdua e emocionante trajetória até aquele momento, de engraxate, passando por técnico contábil, a servidor do TJPR, Promotor de Justiça e Juiz de Direito.
Aos servidores, dirigiu-se afirmando que espera a continuidade do desempenho das funções com o costumeiro zelo, dedicação, responsabilidade e eficiência, a fim de que o TJPR possa atingir, em tempo razoável, a sua missão constitucional. Fez um apelo para que cúpula e servidores trabalhem da forma mais colaborativa possível, com espírito de equipe, a fim de possibilitar a superação dos desafios.
Destacou que o principal foco da nova administração serão as pessoas, baseado no princípio da valorização daqueles que laboram no TJPR e do absoluto interesse dos jurisdicionados.
Sopesando a revolução tecnológica da sociedade moderna e suas consequências nas relações de trabalho, Xisto apontou os benefícios da sua aplicação no âmbito do Judiciário, inclusive se valendo de soluções de inteligência artificial para alcançar a eficiência, a celeridade processual e a preservação da saúde física e mental no trabalho para juízes e servidores.
Reforçou ainda que sua gestão terá por metas o fortalecimento das relações institucionais, o aperfeiçoamento dos processos de trabalho, da gestão de pessoas, da comunicação interna e externa, assegurando o acesso às informações públicas. “O tripé eficiência, moralidade e transparência será a viga mestra, marcada pela harmonia e trabalho colaborativo e participativo no ambiente institucional”, disse.
Xisto assume o TJPR após dois anos de uma conturbada gestão, marcada pelo descumprimento da Res. n.º 219/CNJ, um dos instrumentos da Política Nacional de Priorização do 1º Grau, segundo decisão do plenário do Conselho Nacional de Justiça. Dentre os vários desafios postos à frente do novo Presidente, a priorização do atendimento às demandas do primeiro grau foi enfatizada pelo Presidente da AMAPAR, o Juiz de Direito Geraldo Dutra de Andrade Neto, ao apontar o equacionamento de soluções consensuais em relação à Res. n.º 219/CNJ, e pelo Presidente da OAB/PR, o Advogado Cássio Telles, que também solicitou a realização de concurso público para a contratação de servidores tanto para recomposição das secretarias judiciárias quanto das equipes multiprofissionais.
A priorização do primeiro grau engloba também outros desafios, como a estatização de todas as unidades judiciárias, a realização de concursos públicos para suprir a notória escassez de Analistas Judiciários, da Área Judiciária e Contábil, o provimento de infraestrutura técnico-profissional adequado ao desempenho das funções da unidades judiciais e das equipes multidisciplinares, a superação da lentidão, opacidade, sigilo e dos demais obstáculos administrativo-burocráticos impostos aos procedimentos de movimentação interna, etc.
A ANJUD solicitará a designação de audiência com o novo Presidente e Corregedor-Geral, a fim de reestabelecer o diálogo com a Cúpula Diretiva que proporcione a construção de soluções para todas essas questões sensíveis aos servidores e que aguardam a urgente resolução por parte do TJPR.
Acompanhe nesta página as notícias e informações da nova gestão do TJPR.
Compartilhar:

19 − 4 =