Servidores votam pela continuidade das mobilizações em prol da isonomia e paralisam serviço judiciário no próximo dia 26 de Maio

Na manhã desta sexta-feira, numeroso grupo de servidores se reuniu na sede urbana do Sindijus-PR para deliberar sobre o andamento das negociações com o Tribunal de Justiça do Paraná, oportunidade na qual decidiram por manter a mobilização em busca da isonomia, sendo marcado desde já o dia 26 de maio para o próximo ato de paralisação dos serviços, o que será acompanhado de protesto a ser realizado pelos servidores de todo o Estado no Palácio da Justiça, no mesmo dia, das 17:00 as 20:00 horas.
Isto porque o grupo julgou como insuficiente a proposta oferecida pela Administração, consistente em 5% de reajuste salarial além da correção monetária, insistindo na busca de igualdade salarial e que, em caso de insuficiência orçamentária, o reajuste seja feito de forma gradual, desde que o Tribunal de Justiça se comprometa a tanto em projeto de lei.
Foi aprovado pela maioria dos presentes contraproposta no sentido de que a Administração aplique, de imediato, reajuste de 11% e 20% para os cargos de nível médio e superior do primeiro grau, respectivamente, podendo o valor faltante para se chegar à equiparação ser incorporado aos vencimentos por meio de parcelas anuais, cuja quantidade e valores poderão ser definidos com o Presidente do Tribunal de Justiça.
A diferença de aplicação dos percentuais é necessária na medida em que a distância existente entre os cargos de nível médio do 1º e 2º graus de jurisdição é menor do que a encontrada entre os cargos de nível superior.
Ao passo em que as carreiras de nível médio do primeiro grau percebem aproximados novecentos reais a menos que o valor pago aos Técnicos Judiciários da Secretaria do Tribunal, o fosso existente entre as carreiras de nível superior é de, no mínimo, R$ 5.600,00, o que justifica o tratamento desigual que, ao final, fará com que todos os cargos atinjam a isonomia ao mesmo tempo.
Foi aprovado, ainda, novo dia de paralisação dos serviços judiciários, marcado para o próximo dia 26 de maio, das 12:00 as 17:00 horas, sendo que a partir deste horário todos os servidores do Estado irão se reunir no Palácio da Justiça, em Curitiba, para um ato de protesto previsto para terminar as 20:00 horas.
Ainda nesta tarde, ANJUD, Sindijus e Assojepar protocolaram no Tribunal de Justiça informação sobre o resultado da assembleia, que tomou o número 0179391/2014, bem como pedido de nova audiência com a Presidência do Tribunal para desenvolvimento do conteúdo aprovado hoje pelos servidores.

Compartilhar:

1 Comentário

  • aparecido barbosa 18 de maio de 2014 01:45

    gostaria que vocês fossem a fundo, pois nós merecemos respeito em relação a isonomia, o tribunal de justiça tem dinheiro para pagar os 20 por cento de uma só ez, não tem que parcelar não, tem que pagar já

catorze − 2 =